Preços de Gluteoplastia

R$ 25.000
média

O aumento do bumbum ou gluteoplastia é um procedimento indicado para estilizar, remodelar e modelar as nádegas. As técnicas mais comuns para sua execução são através de implantes de silicone ou transferência de gordura corporal. Após avaliar as necessidades do paciente, o especialista recomendará a melhor opção. O preço médio de uma gluteoplastia é de R$ 25.000 e pode variar de acordo com o grau de complexidade de cada paciente.

O preço deste tratamento é orientativo: é a média dos preços que aparecem nas histórias reais publicadas no Cirurgia.net. Estes preços podem variar de acordo com a reputação e experiência do profissional, as características do paciente, a complexidade da intervenção, etc.

O que está incluso no preço da gluteoplastia?

Após avaliação prévia, o especialista definirá a técnica a ser utilizada de acordo com a necessidade do paciente. 

Primeira consulta: terá um valor que pode variar de R$ 150,00 a R$ 350,00. Uma vez definido, o paciente deve realizar as análises exigidas por seu cirurgião.

Análises prévias: o médico pedirá diferentes tipos de exames de sangue e entre outros, esses exames podem chegar a um custo entre R$ 100,00 a R$ 250,00. Varia também de laboratório e localização do mesmo.

Cirurgião e a equipe cirúrgica: devemos ter em conta que os valores mencionados são estimativos, sempre varia de acordo com paciente e equipe médica, o preço médio está entre R$ 4.000 a R$ 6.500.

Estadia no hospital: o valor da hospedagem do paciente no hospital está entre R$ 250,00 a R$ 650,00. Na hospedagem pode estar dentro do valor um acompanhante.

Medicamentos: o cirurgião plástico possivelmente irá prescrever medicamentos para o seu pós-operatório, o valor varia entre R$ 50,00 a 250,00.

Avalições pós-cirurgia: nestas visitas o médico irá acompanhar todo o processo da cirurgia do pacientes, essas visitas podem já estarem incluídas no preço ou podem ser a partir de R$ 50,00 a R$ 250,00.

O que pode aumentar o preço da gluteoplastia?

Como mencionamos antes, muitos são os fatores que podem afetar o preço do aumento do bumbum: a reputação da clínica, a experiência do cirurgião e a cidade são alguns deles. Porém, a técnica recomendada pelo cirurgião será o item que mais impactará o preço. Em relação à técnica, é necessário considerar: aumento de nádegas com próteses de silicone, transferência de gordura, fios tensores, preenchimentos absorvíveis e ainda a combinação de um ou mais procedimentos. Caso seja escolhida uma prótese, a marca deve ser considerada. Além disso, o número de drenos linfáticos a serem realizados pode aumentar o custo do tratamento.

Preços semelhantes de cirurgias estéticas no Brasil?

Um dos tratamentos semelhantes realizados no país é a transferência de gordura glútea ou a lipoescultura. Com esse tratamento, é possível extrair a gordura de uma área e injetá-la em outra parte do corpo para remodelá-la. Geralmente a área onde a gordura é colocada é nas nádegas. Seu preço varia entre R$ 12.000.

O SUS ou plano de saúde cobre a gluteoplastia?

Não, como regra geral, o aumento do bumbum é considerado cirurgia estética, portanto o SUS não cobre o tratamento. No entanto, muitos centros oferecem a possibilidade de financiar a cirurgia em parcelas.Os planos de saúde também não cobrem a operação pelo mesmo motivo.

Existe algum tipo de financiamento para esse tratamento?

Recomenda-se consultar o centro sobre os métodos que oferece e os requisitos de acesso, uma vez que alguns centros e especialistas costumam ter facilidades de pagamento para seus pacientes, seja por financiamento próprio, parcelado ou com cartão de crédito. Atualmente, é muito comum encontrar centros que facilitam o pagamento desse tipo de tratamento, para o qual às vezes você não tem o dinheiro integral.

Recomendações gerais

Antes de realizar o aumento do bumbum, é fundamental consultar a experiência do cirurgião, oponiões de pacientes, ver fotos do antes e depois, saber se o valor informado está dentro da média, porque valores muito inferiores pode ser um ponto de alerta. O preço não deve ser uma prioridade ao escolher um especialista em medicina estética.