fabianovencio

Fiz a cirurgia tem 15 dias e estou seguindo todas as recomendações médicas, já posso dizer que estou muito feliz com o resultado até agora.

Realizei a cirurgia para correção de orelhas, chamada de otoplastia há alguns meses e estou adorando o resultado! Escolhi meu médico por já ter feito uma cirurgia anterior com ele e principalmente por saber que ele tinha muita prática nesse tipo de cirurgia. Fui a consulta, contei sobre tudo que me incomodava e assim pudemos criar um plano de cirurgia que melhor me atenderia. Realizei todos os exames pré operatórios necessários e realizar a cirurgia algumas semanas depois. A anestesia foi a anestesia geral, antes da cirurgia conversei com o anestesista, que me examinou e viu que seria a opção ideal a anestesia geral devido a localização da cirurgia. A cirurgia durou em média 2 horas, após fui para o repouso até o efeito da anestesia passar e logo após fui para o quarto. Permaneci internada por apenas um dia, como não tive nenhuma complicação no procedimento não seria necessário ficar internada por mais tempo. Em casa precisei usar uma faixa ao redor das orelhas por duas semanas, e fiquei usando medicação para dor. Poderia classificar a dor como média intensidade, mas com uso de analgésicos a dor foi mínima. Precisei ter cuidado para dormir, pois não podia dormir em cima da orelha para não prejudicar a recuperação. Fui a consulta médica duas semanas após o procedimento para retirar os pontos. Tudo ocorreu tranquilamente e sem dor. Posso dizer que tive uma boa recuperação, tomei todos os cuidados que me foram passados e estou adorando o resultado!

juliocesar13
Otoplastia ficou otima
JulioCesar13
Membro destacado

Recomendo a cirurgia pois as piadas de mau gosto principalmente infancia machucam..hj depois de 3 anos vc vive uma vida normal...obrigado doutor gustavo nobrega por fazer minha cirurgia ..valeu cada centavo juntei dinheiro e graças a Deus deu tudo certo o pós operatorio que é a partr mais chata mas passa rapido e vale muito a pena esperar

Foi a melhor escolha que fiz na minha vida. Mudou completamente minha auto estima. Sofro desde pequena por causa das orelhas. Hoje me sinto bem, me sinto livre e bonita; tenho a libertade que eu tanto queria para fazer coisas simples que antes eu nao fazia. Antes eu nao prendia o cabelo e ate recusei emprego por causa disso, hoje esse problema nao existe mais.

Nao gostei do resultado da minha otoplastia, a cicatrização da orelha esquerda atrás ficou cheio de buraco a da direita ficou mais colada e deu uma queloide, tem como melhorar isso? Não prendo meu cabelo por conta disso ,ficou muito feio atrás, fiz pelo projeto orelhinha , a cicatrização mal feita se deu por conta da cirurgia? Tem alguma pomada para melhorar?

juliocesar13

Bom dia...meu nome é julio e tenho a orelha grande de tamanho...realizei a otoplastia porem minha orelha tem 7 e 8 cm ( acho grande )....fiz o procedimento ontem....aguardar tirar o capacete e ver como ficou.....fiz pelo projeto orelhinha...consegui juntando dinheiro realizar um sonho antigo de reduzir o tamanho da orelha e vc vai conseguir tambem

sane

Era um sonho realizar a cirurgia na orelha pois tinha muita vergonha, os meninos da escola sempre riam da minha orelha. Como sou muito vaidosa ao crescer trabalhei muito juntei centavo por centavo até conseguir. Realizei 2 cirurgias no mesmo dia pois ficava mais em conta, tinha uma barriguinha que incomodava bastante, sou magra mas tinha aquela barriguinha, não tive nenhum receio da cirurgia, adorei fazer e adorei os resultados. A vontade era tanta que só pensava em contar e mostrar para todos, tive umas dores pós-cirúrgicas mais nem me dei conta, estava completamente feliz com o resultado e a realização de ter conseguido o dinheiro para fazer a cirurgia. Minha pela teve uma ótima cicatrização, não tive queloide graças a Deus, tenho uma boa genética. Graças a Deus por tudo, muita gente perde a lipo que faz, eu já tenho 9 anos e minha barriga continua lisinha.

clouback

Olá a todos. Me chamo Carolina e tenho 27 anos. Nasci com um par de orelhas de abano bem acústicas (rs!). Aquela expressão "aprender de ouvido" caiu em mim como uma luva. Desde cedo fui autodidata para aprender música e acho que tive boa ajuda. Bailarina, dançarina de salão, nadadora, jogadora de vôlei. Um pouco de cada coisa que eu quis ser. Mas dentro da bolsa, sempre uma faixa. Os ombros só não eram pra frente porque a professora de dança puxava pra trás. Andava com os olhos para baixo, fugia do vento no cabelo, não mergulhava na praia perto de alguém e já saia da água puxando o cabelo pra frente. Em cada foto eu me certificava de que o cabelo estava cobrindo as minhas orelhas antes de sorrir para a câmera. Ao beijar, não deixava que tocassem com as mãos no meu rosto pra não perceber os volumes laterais que eu escondia. E aquela conversa ao pé do ouvido? Nunca tive. Penteados e tranças? Nunca fiz. Cheia de manias, que fui aperfeiçoando pra não deixar que ninguém percebesse o meu ponto vulnerável. Na adolescência enrolei os cabelos e não os prendi. Não até o mês passado. Já tive oportunidade de fazer a otoplastia antes mas tive medo da dor, depois de não dar certo, depois de me ausentar muito dos afazeres, depois por não ter condições financeiras. Um problema sendo adiado e eu teria feito isso há muito tempo se eu pudesse ter a experiência, por 5 minutos, de sentir o que hoje sinto ao me olhar no espelho. Parece clichê, como dizia minha mãe: "para de palhaçada, levanta as mãos pro céu e agradeça a Deus pela orelha que você tem, por escutar e para com essa mania de ficar se diminuindo por besteira". Mas não era besteira pra mim. Cresci numa família que achava que cirurgia plástica era coisa pra rico "besta" que não tem com o que gastar. Ficar mudando o corpo pra quê se Deus faz tudo perfeito! Um dia vi um artista dizendo "tem gente que nasce feio mas vem engraçado pra compensar a feiura". Daí eu pensava "Meu Deus, o que será que eu tenho pra compensar esse par de orelhas de abano tão sinistro? Engraçada eu não sou." Cheia de manias, de 'não me toques'. Precisei de maturidade e experiência pra compreender que o momento certo foi há um mês e não há muito tempo. Sabe, o problema era aqui dentro e eu não me aceitava assim. Sou casada, contadora e hoje, ao me preparar para a carreira militar, me vi num dilema. Como vou poder esconder os cabelos? E então, diante de uma situação inadiável, já no limite da idade, me submeti à otoplastia. Pesquisei bastante e quase desisti com tantos relatos de 'retoques' e deformações pós cirúrgicas. Encontrei o Dr. Flávio Távora e com a sua experiência e competência, me senti inteiramente segura e atualmente estou muito feliz com o resultado. Lembro-me bem da cirurgia, quando me perguntou "Tá tudo bem? Gosta de música? Vou ligar o Spotify aqui" e descobri que o aplicativo tem uma coleção chamada "Cirurgia" pra pacientes ansiosos e tensos como eu. Ainda estou no pós cirúrgico. Hoje faz 45 dias e estou retornando à atividade física leve. Me submeti à cirurgia com anestesia local, então senti tudo, escutei tudo, sem dor mas o coração na mão. A cirurgia é um pouco tensa e minhas orelhas precisaram de mais do que 2 horas para um resultado satisfatório. Deram um trabalhinho. O pós cirúrgico está sendo a parte mais chata. Aprendi a dormir de barriga pra cima, a esperar 18 dias pra lavar um cabelo longo (e caiu cabelo hein, benzadeus!). Dava pressão nas orelhas pra olhar para os lados, o travesseiro na nuca parecia que empurrava as orelhas pra frente. Evitei sol (eu amo sol), caminhada, bebida alcoólica, abaixar, passear, namorar (tente se for capaz!!!). Mas tudo é passageiro. Hoje já faço tudo isso aê, até dormir de lado, chego a babar de tão bom....rsrsrs! Meu cirurgião é um excelente profissional, mas nada substitui um bom zelo no pós cirúrgico, que é a parte mais demorada e importante na manutenção dos pontos e da reconstituição do trauma sofrido por dentro. A parte mais chata hoje é a faixa pós cirúrgica (preço ótimo a da marca Yoga), que chega a assar a pontinha da orelha e daí vem todo o cuidado de hidratar bem e mantê-las bem limpas! Agora estou aqui, escrevendo, com um monte de material para estudar. A faixa pós cirúrgica está na cabeça e daqui a uns dias quando for tirá-la, não precisarei de mais nenhuma outra. Já comprei boné, elásticos, vejo penteados pro dia-a-dia, já me olho no espelho e coloco os ombros bem pra trás. Com o passar dos dias as orelhas vão tomando um formato mais natural, desinchando, voltando à sensibilidade (elas podem ficar dormentes, é normal!). Agora é nova adaptação. É hora de deixar as manias de lado e deixar os cabelos voarem ao vento, literalmente de cabeça erguida.

rodrigoferreiradossa

Estou muito feliz com o resultado. Já retirei o capacete, a sensação de retirar, é uma mistura de alívio, com curiosidade e um pouco de medo de levar um susto com o resultado. Durante o período em que ficamos com o capacete, a cirurgia sangra um pouco, e acaba sujando o curativo, mas os médicos dizem que é normal isso ocorrer. Nos primeiros dias, encontrar uma posição para dormir é bem complicado, mas o que pode ajudar bastante é aquele travesseiro de viagem em forma de U, pois não é recomendado dormir de lado em quanto a cirurgia não estiver cicatrizada. O que me ajudou muito, foram os vídeos de pessoas que já realizaram a cirurgia e postaram no YouTube, tem várias dicas bacanas. Obrigado e estarei aberto para mas perguntas e curiosidades!

Primeiro, não gostava da forma de minha orelha, chamada de abano. Sofri um pouco com isso, quando me olhava no espelho, eu não aceitava e me achava feio, aliás ainda sou kkk. E acima de tudo era gago, pode imaginar? Foi quando decidi que faria algo a respeito. Não tinha dinheiro, foi impressionante, em 3 meses consegui o dinheiro. Isso foi ótimo! Pense no jovem feliz! Eu não queria nem saber se ia doer ou não, estava determinado, focado e foi isso que aconteceu. Realizei a otoplastia, saí da clínica renovado, muito feliz, parece que tinha tirado um peso. Deu tudo certo. Até hoje os dias estão sendo maravilhosos, mudou a minha vida... grato!

Tudo começou quando as piadas de mal gosto foram ganhando efeito negativo na minha autoestima. Desde uns 10 anos eu comecei a perceber que minhas orelhas eram estranhas é diferente dos demais colegas. Com o passar do tempo, isso foi se transformando em uma crise existencial. Não conseguia mais ter segurança comigo mesmo, e tinha vergonha de que as pessoas me vissem sem boné, que eu usava para apertar as orelhas. Reprovei um ano na escola por vergonha de ir estudar, fingia que ia e ficava na rua esperando o horário de voltar pra acda. Isso realmente acaba com a gente. Fiz minha otoplastia. Agora to realizado, só espero não precisar de retoque. 🙏🏻❤️