Tayane
Tayane
Escritora, copywriter e community manager. Administradora da maior comunidade de cirurgia plástica do Brasil.
Atualização: 3 Mai 2019

Destacado

Navegação

  • Informações sobre a mudança de sexo
  • Definições comuns
  • Entendendo a pessoa transexual
  • Causas da transexualidade
  • Os primeiros primórdios da transexualidade
  • As manifestações da transexualidade desde os primeiros anos de vida.
  • Qual médico buscar?
  • O apoio emocional é muito importante!
  • Preparação para a intervenção
  • Hormônios
  • Mudança de sexo de homem para mulher
  • Mudança de sexo de mulher para homem
  • Perguntas frequentes
  • Depoimentos
  • Bibliografía
redesignação sexual

Lili Elbe a primeira transexual já conhecida.

Informações sobre a mudança de sexo

De acordo com um estudo realizado pela associação ORTrans, estima-se que o número de pessoas trans no mundo é de 500 mil pessoas. Uma estimativa que talvez não seja real, já que muitas pessoas não se declaram abertamente.

A transexualidade passou por muitos altos e baixos ao longo da história; já foi considerado doença, transtorno, já foi aceito em outras sociedades. Porém, sabemos que de toda maneira ainda há um preconceito com as pessoas que são transexuais. Aqui nós lhe daremos informação sobre cirurgia de redesignação sexual ou cirurgia de mudança de sexo, tanto para aqueles que buscam o tratamento e para aqueles que são curiosos em entender melhor o tema. 

Mudança sexual ou redesignação sexual

Mudança sexual ou redesignação sexual

Definições comuns

Antes de falar sobre a cirurgia, é importante dar algumas definições para entender melhor sobre o tema:

-Mudança sexual ou redesignação sexual:
intervenção sexual para mudar o sexo do nascimento para transformá-lo no gênero desejado.
-Disforia de gênero:
Este é um termo médico usado pela Associação Americana de Psiquiatria para expressar a dor e o sofrimento associados à não-conformidade de gênero.
-Transgênero:
essa é uma pessoa que não se sente compatível com sua designação de gênero.  Muitas vezes, as palavras "transgênero" e "transexual" são usadas como sinônimos para falar sobre pessoas que querem fazer uma mudança de sexo.
-Transexual:
A diferença entre uma pessoa transgênero e transexual é que um transexual passou por redesignação sexual para mudar sexo e gênero.
-Cisgender:
Uma pessoa cisgênero está de acordo com o tipo atribuído a ele e seu sexo biológico.
-Intersexualidade:
Estas são pessoas nascidas com uma malformação dos órgãos sexuais, tornando difícil ou impossível atribuir-lhes um sexo. Os pais devem, portanto, fazer uma escolha de primeiro nome e gênero nem sempre óbvio, sem saber como a criança irá se desenvolver.

sobre os transexuais

Pessoas que não se identificam com o gênero

Entendendo a pessoa transexual

Transexual: Um homem transexual é uma pessoa nascida no corpo de uma mulher que realizou uma transformação para se tornar um homem. Ou uma mulher transsexual é uma pessoa nascida em um corpo de homem que realizou uma transformação para se tornar uma mulher.
MtF (masculino para feminino):
termo usado para se referir a pessoas trans nascidas como homens e submetido a uma intervenção para se tornar uma mulher.
FtM (feminino para masculino):
termo usado para se referir a pessoas trans nascidas como mulheres e submetidas a uma intervenção para se tornar um homem.

Causas da transexualidade

Christine Jorgensen, a primeira transexual a realizar a operação completa com sucesso.

Causas da transexualidade

As causas da transexualidade não estão definidas. Os cientistas não chegaram a uma conclusão. Alguns falam de uma causa genética ou relacionada à estrutura / funcionamento do cérebro. 

É  importante saber que as pessoas transexuais que querem se submeter a um procedimento de reatribuição sexual não estão doentes. Este é um elemento chave a ser lembrado, porque é o que lhe dará força para enfrentar as muitas etapas que constituem as intervenções de reatribuição sexual.

Os primeiros primórdios da transexualidade

Embora a transexualidade esteja novamente na mídia, a transexualidade existe desde o início dos tempos. Já se falava em transexualidade na antiguidade e, mesmo nas tribos nativas americanas, as mulheres transexuais tiveram a oportunidade de se vestir de mulher e ter um marido. Também foram conhecidas figuras históricas transgênero, como Joana d'Arc na França.

Na história moderna, lembramos Lili Elbe, a primeira pessoa conhecida que realizou a cirurgia de redesignação sexual em 1930, mas morreu em uma operação de transplante de ovário. Christine Jorgensen, entretanto, é a primeira mulher transexual conhecida por ter completado com sucesso todas as intervenções de redesignação sexual. Suas cirurgias foram realizadas entre 1952 e 1954.

Foi nessa mesma época que o Dr. Harry Benjamin se tornou o primeiro médico e endocrinologista declarando que as pessoas transgênero não estavam doentes, mas que elas sofriam de um sofrimento real que ninguém conhecia a origem. Ele ajudou muitas pessoas trans em sua carreira e até é considerado o "fundador" da transexualidade ocidental, segundo dados coletados na memória de Lynn Conway, o laboratório de inteligência artificial de Michigan.

No final da década de 1950, o cirurgião plástico francês Georges Burou inventou a técnica moderna de inversão do pênis, utilizada atualmente.

quando se manifesta a transexualidade

a transexualidade não é uma doença

As manifestações da transexualidade desde os primeiros anos de vida.

A transexualidade pode manifestar desde cedo, a partir dos 3 anos, quando as crianças têm idade suficiente para se definirem como menino ou menina. Os pais são aconselhados a prestar atenção em seus filhos se eles perceberem que estão desenvolvendo disforia de gênero. Acompanhe e apoie. Uma disforia de gênero cuidada desde cedo pode aliviar a pessoa e evitar maior sofrimento no futuro. Além disso, seu médico pode dar a assistência necessária para ajudar a criança e a  família nesse processo.

médicos que fazem a mudança de sexo

cada pessoa tem uma necessidade diferente

Qual médico buscar?

Muitos cirurgiões e médicos entram em cena na reatribuição sexual. Com relação aos procedimentos cirúrgicos, recomendamos sempre que você tenha um cirurgião aprovado e experiente. As intervenções de redesignação sexual são muito específicas e existem poucos cirurgiões que a realizam.

Em primeiro lugar, nós convidamos você a verificar se o seu cirurgião está realmente credenciado no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
Finalmente, sugerimos que você se consulte com diferentes cirurgiões até encontrar um que te passe confiança em todo o processo. Talvez seja necessário consultar cirurgiões de diferentes especialidades, pois cada pessoa vai ter uma necessidade diferente nesse processo de mudança de sexo.

família e transexuais

a comunicação é essencial para a família e transexuais

O apoio emocional é muito importante!

O início pode ser diferente de um indivíduo para outro, mas o que está claro é que a pessoa que começa o processo de transformação precisará de apoio. Este apoio, você pode encontrá-lo no melhor dos casos com a família, também é essencial para conversar com amigos mais próximos. Conte-lhes sobre seus sentimentos, seu plano. É normal que eles também precisem de tempo para se acostumar com a situação e entendê-la para poder apoiá-lo. 

O mais importante é sempre a comunicação e a sinceridade. Para alguns, um psicólogo pode ser útil, abordando a transformação com mais calma e deixando mais leve para as pessoas envolvidas.

Preparação para a intervenção

O procedimento de mudança de sexo deve ser tomado com seriedade pela a parte médica e também pelo o paciente que deseja se operar. É um procedimento possível, mas que requer muitos cuidados, com riscos reais. Alguns passos podem variar dependendo de cada caso e de cada médico.

Consulta com o psicólogo:
Qualquer ato deve primeiro passar por uma avaliação psicológica, para que se possa entender melhor quais os motivos que a pessoa deseja realizar esse procedimento, e se ela está realmente preparada para essa mudança de vida. 

Psicólogo: Analisando a situação e descartando qualquer contraindicação, é o primeiro passo do processo. Pois é possível que exista a contra indicação, por exemplo, no caso em que um distúrbio psiquiátrico como a esquizofrenia pode estar na origem do procedimento. Basicamente, o psicólogo está lá para se certificar de que você não vai se arrepender e que está preparado. O seu psicólogo está aqui para ajudá-lo a fazer uma transição suave. 

Endocrinologista: Uma vez que o processo com o psicólogo seja concluído haverá um processo hormonal. Possivelmente o médico passará exames para tirar qualquer dúvida de contra indicações à ingestão desses hormônios.

Cirurgião Plástico: É só depois de ter passado por esses anteriores que você poderá fazer uma cirurgia de mudança de sexo, caso ainda a deseje. Em alguns casos, após o tratamento hormonal, os pacientes se sentem satisfeitos e não querem dar continuidade ao processo de transformação. Outros vão para o estágio final da transferência sexual.

hormônios para transgênicos

hormônios para transgênicos

Hormônios

O tratamento hormonal é uma das opções para os pacientes transgênicos que queiram ver algumas mudança física no seu corpo. 

Seu endocrinologista realizará exames regulares a cada 6 meses para garantir que você esteja bem de saúde, ademais de te aconselhar um psicólogo também, garantindo que todas as mudanças hormonais estejam equilibrada e que todo o processo seja confortável para você.
As mudanças podem ser rápidas ou mais demoradas, dependendo do paciente, os doutores comentam que elas são semelhantes àquelas que experimentam durante a fase da puberdade:

Transgênero masculino:
a voz muda, o tamanho do corpo e do rosto aumentam, o clitóris muda de tamanho e fica maior, a massa muscular e a silhueta mudam, a armação fica mais forte e a pele engrossa. Há também alterações fisiológicas, como aumento da freqüência cardíaca e pressão arterial, alterações no odor corporal, aumento da libido e perda da menstruação.

Transgênero feminino:
 mamilos e tórax se desenvolvem, os testículos se atrofiam, a função erétil diminui, a massa muscular diminui, a gordura corporal é redistribuída, a face e a pele ficam macias e finas. As seguintes alterações também são observadas: diminuição da libido, aumento da freqüência cardíaca, incapacidade de ter uma ereção, incapacidade de criar espermatozóides ou ejacular.

Além disso, é importante saber que, durante uma transformação para um transgênero que deseja se tornar mais feminino os hormônios não influenciam na voz. Portanto, será necessário que as mulheres transexuais tenham aulas de dicção ou fonoaudiólogo para mudar sua voz feminina. É o mesmo para o cabelo. Ele não será influenciado por hormônios.

É importante saber que alguns efeitos dos hormônios são reversíveis, enquanto as intervenções de redesignação sexual não são reversíveis
. Também é importante saber que os tratamentos hormonais podem torná-lo estéril, por isso é importante que você converse com seu médico se você gostaria de ter filhos mais tarde.

Mudança de sexo de homem para mulher

Para realizar uma vaginoplastia, você deve ter tomado estrogênio por pelo menos 1 ano. Também é aconselhável ter feito um tratamento de remoção de pêlos a laser na área genital antes do procedimento. Como com qualquer processo cirúrgico, seu médico pedirá que você deixe de fumar pelo menos um mês antes do procedimento e um mês após para facilitar a cicatrização. Você também terá que parar de tomar medicação do tipo aspirina 15 dias antes.

O procedimento

A intervenção dura de 4 a 5 horas.

A vaginoplastia envolve na eliminação do corpo do pênis e o uso da pele externa para criar as paredes internas da vagina. Isso significa que o interior da vagina será transformado com a pele do pênis; às vezes será necessário aprofundar a vagina com enxerto. Os testículos também são eliminados. O topo da glande, que é uma parte muito sensível, é usado para construir o clitóris. O prepúcio permite que se faça pequenos lábios. Quanto às partes externas do escroto, elas permitem criar os grandes lábios. Durante o procedimento, a saída da uretra é encurtada para permitir urinar para baixo.

Ao final do procedimento, uma prótese de silicone ,projetada para a ocasião, é colocada dentro da vagina. Permite obter a profundidade e largura desejadas e será mantido por 8 a 10 dias. Você ficará de cama por 24 horas e levará um cateter de bexiga por 8 a 10 dias também. Você terá que usar drenos que serão removidos após alguns dias, sua primeira troca de curativo será refeita depois de 4 dias pelo o cirurgião. A hospitalização acontece por um período máximo de 12 dias. É importante que seguir o seguinte conselho após sua intervenção:

-Manter uma boa higiene pessoal com sabonete neutro, enxaguar bem e secar bem a área, com delicadeza
-Sexo com penetração deve ser evitado durante os primeiros 2 meses
-Usar roupas íntimas soltas e preferir calças ou saias
-Esteja ciente de quaisquer mudanças significativas na área: cheiro ou corrimento. Avise o seu cirurgião o mais rápido possível ao notar qualquer anormalidade.

Dilatador vaginal

Você precisará usar um dilatador regularmente para manter os resultados. Esta é uma parte importante do conhecimento pós-operatório: os dilatadores devem ser usados ​​por 30 a 40 minutos diariamente por vários meses, e serão maiores e mais largos, para obter um tamanho vaginal satisfatório,aproximando-se de uma mulher biológica. No futuro, caso você não tenha relações sexuais por muito tempo, você também precisará continuar usando um dilatador 1-2 vezes por semana para manter a largura e a profundidade da vagina intactas.

Resultados
Os resultados são expressivos. A vagina é semelhante à de uma mulher biológica e também pode proporcionar prazer durante a relação sexual. Os pacientes geralmente ficam muito felizes com o resultado, o que lhes permite vivenciar plenamente sua sexualidade e sua vida como mulheres. No entanto, será necessário usar lubrificante durante a relação sexual, já que não é capaz de gerar lubrificante natural como uma mulher biológica consegue.

Complicações possíveis

Todos os procedimentos cirúrgicos envolvem riscos e possíveis complicações que você deve saber antes de iniciar o procedimento:

-infecções
-hemorragia
-fístula retal vaginal
-distúrbios da função urinária
-anormalidades na direção do fluxo urinário
-óbito

Aumento do peito
Para completar a transformação homem-mulher, também é possível fazer um aumento de mama. Geralmente, esta é a primeira intervenção realizada por mulheres transexuais. Os hormônios podem ajudar a crescer a área da mama, mas geralmente os pacientes buscam o tratamento para aumentar os seios para conseguir um resultado ideial. Para saber mais sobre essas intervenções, convidamos a ler mais sobre o tratamento de: Aumento de mama.

Feminização do rosto

Finalmente, você pode precisar de cirurgias faciais para completar sua transformação e feminizar sua aparência. Entre elas, a rinoplastia, a correção da oval da face (que pode ser feita durante uma cirurgia maxilofacial ou com injeções de ácido hialurônico), a correção dos volumes das maçãs do rosto (ácido hialurônico ou implantes), aumento labial, entre outras. Esses procedimentos só devem ser feitos caso você sinta à necessidade e se o seu médico cirurgião plástico também esteja de acordo.

Mudança de sexo de mulher para homem

Há muitas intervenções possíveis durante uma transformação de mulher para homem. Esses procedimentos são realizados sob anestesia geral e requerem vários dias de internação. Antes da cirurgia, o seu médico irá sempre aconselhá-lo a deixar de fumar 1 mês antes e 1 mês após o procedimento e a não tomar aspirina 15 dias antes, entre outros.

Remoção de peito

É possível realizar a retirada dos seios  no início da ingestão de hormônios durante a transição para um corpo masculino. É uma intervenção delicada, onde o seu peito será exposto em sua vida diária e deve, portanto, ter um aspecto mais natural possível.
Durante a intervenção, o médico eliminará os tecidos das glândulas mamárias e se necessário o tamanho dos mamilos, ao mesmo tempo em que realizará uma correção do excesso de pele.

Transformação da parte íntima

Essa técnica de reatribuição sexual consiste em transformar o clitóris em uma espécie de pênis pequeno. Com a ingestão de hormônios masculinos, o clitóris tende a crescer até atingir um tamanho médio de 4 a 5 cm. O resultado dessa intervenção não alcança a penetração durante a relação sexual, mas permite que o paciente mantenha a capacidade de atingir o orgasmo do clitóris.

Este procedimento é geralmente realizado em conjunção com uma escrotoplastia (criação do escroto), um vaginectomia (remoção da vagina), histerectomia (remoção parcial do útero) e ooforectomia (remoção de ovários), se estes ainda não tiverem sido realizados.

Preparação para intervenção

Como com qualquer procedimento cirúrgico, seu médico pedirá que você pare de fumar um mês antes e um mês após a cirurgia, mas também medicamentos contendo aspirina 15 dias antes. É importante que você siga estas instruções ao pé da letra. Você também encontrará seu anestesista para se preparar, sendo hospitalizado no dia anterior a cirurgia.

O procedimento

Esta é uma operação complicada, durando entre 8 e 9 horas. Especialistas explicam que, inicialmente, o urologista usará os pequenos lábios para reconstruir a uretra. Ele então moverá os grandes lábios para construir um escroto, como o de um homem biológico.
Para reconstruir o pênis, o cirurgião usará o tecido do antebraço, que deve ter sido tratado com depilação permanente a laser. Este é um retalho de pele que irá cobrir e dar volume ao canal interno, para evacuar a urina. Uma operação deste tipo requer 2 semanas e meia de hospitalização e você precisará de uma parada de trabalho de 2 meses.  Alguns dias após a operação, os drenos instalados serão removidos. Durante o período pós-operatório, aconselha-se a seguir as seguintes instruções:

-proteger a área operada do frio
-dormir de costas
-manter uma excelente higiene íntima
-usar roupas largas e cuecas
-esperar várias semanas antes de retomar uma atividade esportiva, seguindo o conselho de seu cirurgião
-esteja ciente de quaisquer mudanças significativas durante o processo de cura: cheiro, por exemplo. Avisando seu cirurgião o mais rápido possível.


Resultados

Os pacientes geralmente estão muito satisfeitos com e podem urinar e/ou ter um orgasmo. Em relação à penetração durante a relação sexual, você precisará de uma prótese erétil. Para um resultado ainda mais natural, será possível tatuar veias no pênis. Somente após a cura ser concluída, você poderá fazer uma nova intervenção para completar sua transformação.

Riscos e complicações
Todos os procedimentos cirúrgicos têm riscos e complicações em potencial que é importante que você saiba antes de realizar uma intervenção. Estes incluem:

-formação de coágulos
-infecção
-necrose
-hemorragia
-cura difícil
-óbito

Implantes testiculares

Para dar uma aparência natural ao escroto será preenchido próteses testiculares. Essas próteses são preenchidas com gel de silicone e existem em diferentes tamanhos. No entanto, vai demorar um mínimo de 6 meses para ser colocado.

Prótese para o pênis

A prótese erétil pode ser colocada cerca de 12 a 18 meses após o procedimento, uma vez que a sensibilidade no topo do pênis será encontrada. Essa prótese permitirá que o pênis tenha uma ereção e, assim, alcance a penetração, mesmo que seja possível estimular o pênis e até mesmo ter um orgasmo sem prótese. Existem diferentes tipos de próteses, o seu médico pode aconselhá-lo sobre o que melhor para o seu caso.

As pessoas trans devem reaprender a descobrir sua sexualidade após uma operação de mudança de sexo. Hormônios na fase inicial do tratamento já alteram o desejo sexual dos pacientes. Após a cirurgia de redesignação sexual, os relacionamentos íntimos são frequentemente mais bem vividos e, portanto, mais satisfatórios; isso é normal porque a pessoa se sente melhor em seu corpo o que lhe permite florescer em todos os níveis, inclusive sexualmente.

É importante saber que os genitais são transformados, mas mantêm sua capacidade de produzir sensações e induzir o orgasmo.

Perguntas frequentes

  • Com que idade podemos iniciar uma transformação? No Brasil a idade legal a ser operada é de 18 anos. Se você ainda não atingiu a maioria, ou se seus filhos ainda são jovens, é possível consultar um médico para já ser orientado por um profissional no tema.
  • A fertilidade continua após o procedimento? Procedimentos relacionados à mudança de sexo geralmente resultam em infertilidade. Para remediar isso, se você quiser ter filhos, não hesite em falar com seu médico. Este poderá em particular propor-lhe soluções como o congelamento dos espermatozóides ou os ovos no começo de sua transformação.
  • Minha voz mudará? Sim, tomar hormônios afeta a voz. No caso de uma transformação feminina para masculino, você precisa ter em mente que sua voz gradualmente se tornará masculinizada, mas você ainda precisa ser realista. Para ajudar a mudar, você pode usar um fonoaudiólogo para ajudá-lo a colocar sua voz um pouco mais grossa. Para uma mudança de masculino para feminino, os hormônios desempenham um papel muito pequeno na mudança de voz, será necessário que você também faça uso de um fonoaudiólogo ou que realize uma cirurgia das cordas vocais.
  • Podemos voltar em caso de arrependimento? Atenção, é importante saber que uma intervenção de reatribuição sexual não é reversível. Por isso todo o processo anterior feito com o psicólogo é muito importante para evitar arrependimentos.
  • As mulheres transexuais ainda vão ter a menstruação? Não, as intervenções de redesignação sexual destinam-se apenas a mudar a aparência externa dos genitais.
    É possível saber que passei por reatribuição sexual durante a relação sexual? Os resultados  são realmente extraordinários, porém seus genitais nunca serão totalmente iguais aos de um homem biológico ou mulher. Portanto, é aconselhável falar abertamente e sem tabus para seus parceiros.
  • Posso engravidar depois de uma transformação? Não, não é possível engravidar. É por isso que, se você quer conceber uma criança, é aconselhável conversar com seu médico antes da transformação, para que ela ofereça alternativas.

Depoimentos

"Desde dos meus 7 anos já não me sentia como uma mulher, e pensava como um menino. Após muitos traumas e consultas com o psicologo pude me entender e aceitar como eu sou, um homem preso no corpo de uma mulher. Mas agora tudo mudou! No dia 17/04/2018 fiz a mudança do sexo feminino para o masculino..."

Ver experiência

joaoricardo25 - São Paulo (cidade), São Paulo

"A informação que aparece nesta web é apenas indicativa e nunca pode substituir a informação que o seu médico, cirurgião ou especialista em estética e plástica deve fornecer. Se você estiver avaliando a possibilidade de realizar qualquer tratamento ou intervenção médica (também em caso de dúvidas ou perguntas), vá diretamente ao seu médico especialista para lhe fornecer as informações correspondentes. Cirurgia.net não garante ou recomenda qualquer conteúdo, procedimento, produto, opinião, profissional de saúde ou qualquer outro material e informação neste guia ou em qualquer lugar deste site."