Simastia: o que é e como tratar

Simastia: o que é e como tratar
Formada em Publicidade e Propaganda, desde que me formei, sempre fui apaixonada pelas redes sociais, sou redatora há mais de 10 anos, com experiência no setor da medicina estética.
Criação: 2 Abr 2017 · Atualização: 4 Jul 2022

Você já ouviu falar em simastia? Esse é o nome dado ao descolamento da pele do peito entre os seios, o que faz com que se forme uma espécie de ponte entre as mamas, a qual as mantém "coladas".

O implante pode ser o vilão quando a mamoplastia de aumento ocorre com próteses de tamanho exagerado à estrutura física do tórax da pessoa. Também quando o procedimento é realizado de maneira inadequada por parte do cirurgião plástico.

Simastia pós-implante mamário, como complicação pós-operatória, pode ser devido à formação de um túnel entre os espaços que abrigam as respectivas próteses, geralmente por geração de hematomas ou infecção. E também por um mau desempenho da própria intervenção, uma vez que a causa geralmente é um excesso de dissecção na criação da bolsa, o que resulta na perda do sulco inter mamário. Os implantes mamários podem ser anexados ao esterno. Simastia é muitas vezes causada por cirurgiões que não são qualificados ou inexperientes em cirurgia de mama.

O problema ainda pode ocorrer por complicações pós-cirúrgicas, como inchaço persistente ou hematomas que contribuam para o deslocamento das próteses, além do acúmulo de líquido na região. A simastia também pode ter origem natural (congênita), sendo consequência de mamas grandes. E as pessoas afetadas são poucas, por isso, quando estão na idade certa, são submetidas à cirurgia de remodelação estética, obtendo uma porcentagem muito alta de sucesso no resultado.

A escolha do tamanho correto do implante é um desses fatores que não devem ser deixados ao acaso. Nessas circunstâncias, o tamanho importa, porque pedir ao médico próteses muito grandes pode fazer com que elas sejam vistas juntas após a recuperação e outra operação será necessária para corrigi-la. Por isso, a avaliação corporal e as medidas do tórax antes da intervenção são essenciais para que o resultado obtido seja satisfatório.

👉 Artigo relacionado: Aumento de seios: tipos de cicatrizes e cuidados necessários

Como tratar a simastia?

Para os dois casos de simastia, de origem congênita ou implante de silicone, a correção existe e ocorre por meio de cirurgia plástica. Entretanto, não se trata de um procedimento simples, o que faz que a escolha do cirurgião seja feita de maneira criteriosa.

Antes de realizar a correção, o profissional analisa o caso e pode fazer uso dos seguintes procedimentos em situações de implantes:

  • Troca de implante: no caso de a prótese de silicone implantada ser considerada muito grande para a estrutura da pessoa, um dos caminhos é realizar a troca por um tamanho menor e mais adequado à pessoa. Assim, os implantes que estavam no plano subglandular serão transferidos para o plano subpeitoral. Se, por outro lado a simastia ocorreu com implantes de foram colocados no plano subpeitoral, será criada uma bolsa, m¡para reconstruir as ancoragens do músculo peitoral no esterno. Dessa forma, gerará duas bolsas separadas, cada uma abrigando o implante em cada mama para obter o resultado natural.
  • Retirada de pedaço da cápsula: chamada de capsulectomia medial extensa, que realiza a retirada de um pedaço da cápsula na parte externa e central do peito.
158.jpg
  • Costura interna da cápsula: que consiste em costurar a cápsula internamente e fazer o redesenho da curvatura do seio. Essa técnica é conhecida como capsulorrafia interna

Geralmente, a cirurgia de correção ocorre através da mesma incisão anterior, o que evita a formação de novas cicatrizes. Os procedimentos para corrigir a simastia são indolores, porém, exigem que o paciente evite esforços e tome cuidados no pós-operatório por pelo menos 30 dias.

Que efeitos tem uma simastia?

O efeito da simastia não é apenas o desaparecimento do sulco intermamário, a aréola e o mamilo permanecerão em muitos casos deslocados visualmente para fora, devido ao movimento do volume mamário interno. A rejeição que esta anomalia pode causar nas mulheres é normalmente muito grande a nível psicológico, pois em muitos casos parecerá pior do que antes da mamoplastia de aumento, algo realmente frustrante.

A importância de procurar um profissional especializado

Por ser um procedimento considerado delicado, é importante que a pessoa procure por um profissional especializado em correção da simastia e que domine as técnicas utilizadas. Isso vale para os dois casos de simastia: congênita e de implante.

A simastia por motivos congênitos será corrigida com a remoção da membrana que une ambas as mamas e isso muitas vezes implicará a sutura interna do sulco intermamário, é uma intervenção bastante simples e a priori com um prognóstico muito bom.Sinomastia por uma cirurgia de aumento de mama de forma incorreta, deve corrigir o problema que a causou, por isso não podemos falar de um único procedimento cirúrgico e as técnicas correspondentes serão aplicadas em cada caso particular.

157.jpg

Do mesmo modo, é fundamental que, ao se buscar a mamoplastia de aumento, também se procure por um cirurgião que domine a técnica para evitar possíveis problemas no futuro. Além disso, escolher a prótese do tamanho que seja mais adequado ao corpo e seguir a orientação médica também são decisões importantes para evitar os riscos de simastia.

Após a intervenção cirúrgica, será necessário que a mulher use um sutiã específico (não é um sutiã esportivo normal) e ela seguirá os cuidados pós-operatórios indicados pelo cirurgião, dentro dos quais ele provavelmente recomendará sessões de drenagem linfática .

O conteúdo publicado no Cirurgia.net (site e App) em nenhum caso pode, nem pretende substituir as informações fornecidas individualmente por um especialista em cirurgia e medicina estética ou áreas afins. Este conteúdo é meramente indicativo e não é um conselho médico nem um serviço médico de referência. Fazemos um esforço e esforço constante para manter um alto padrão e precisão nas informações fornecidas, no entanto, a precisão e a adequação das informações contidas ou vinculadas não são garantidas.