A diabete e os problemas de saúde bucal

Por Cirurgia.net
18 Jan 2018
A diabete e os problemas de saúde bucal

A diabete é uma das doenças com o maior número de casos em nível mundial e, infelizmente, até hoje ainda não conta com uma cura. Um dos principais inconvenientes é que, associada a ela, podem surgir outros tipos de enfermidades ou patologias que, se não tratadas de maneira adequada, podem dificultar o controle da glicose no sangue.

Muitas pessoas não sabem, mas há uma estreita relação entre a diabete e os problemas de saúde bucal. Um controle inadequado dos níveis de açúcar pode facilitar a aparição de patologias bucais, as quais, por sua vez, dificultam o controle dos níveis de glicose e dão lugar a algo que poderíamos chamar de "círculo vicioso".

Gengivite e periodontite

As gengivas são uma das zonas mais sensíveis do corpo. Ao estar na boca, frequentemente se encontram expostas a bactérias e sujeiras que contribuem para o aparecimento de infecções. Isso ocorre principalmente quando a pessoa não costuma manter uma boa higiene bucal.

A gengivite é uma inflamação leve das gengivas, porém, se não tratada adequadamente, pode acabar se convertendo em uma periodontite. A periodontite, por sua vez, é uma doença muito mais grave e que pode gerar, inclusive, a perda de dentes e afetar diretamente os ossos bucais.

Os últimos estudos realizados mostram que existe uma estreita relação entre a diabete e as numerosas doenças que podem surgir nas gengivas. Conforme pesquisas, pessoas que não têm bem controlado os níveis de glicose no sangue contam com probabilidades mais altas de sofrer com enfermidades nas gengivas, com a perda de dentes, com o aumento de secura bucal e ainda com problemas causados por fungos.

boca2.jpg

A doença periodontal é causada por bactérias presentes nas placas dentárias, as quais provocam infecções de gengiva. Os sintomas das placas são difíceis de serem detectados logo no início. No entanto, com o passar do tempo e conforme a enfermidade aumenta, é normal que surjam desconfortos, como inflamação gengival, coceira, e sangramentos.

Quando a doença evolui, se torna justamente a periodontite. Nessa fase, é natural que aparecem outros sintomas, como: a retração e a infecção das gengivas, a falta de firmeza dos dentes afetados, o aumento da sensibilidade dentária (especialmente em relação ao frio), o mau hálito e ainda o aparecimento de pus.

No caso de pessoas com diabetes e que desenvolvem a periodontite, a doença é tratada de duas maneiras: por um lado, se trabalha para que se mantenham os níveis ideais de glicose no sangue. Por outro lado, se eliminam as placas das gengivas para dar fim à infecção. Ou seja, a pessoa terá que ser acompanhada por dois especialistas ao mesmo tempo para poder encontrar uma solução para o problema.

As cáries em pessoas com diabetes

As cáries afetam todos os tipos de pessoas, porém, a sua presença pode ser mais habitual em diabéticos que não têm bem controlados seus níveis de glicose no sangue. É justamente a maior presença de glicose na saliva uma das responsáveis por favorecer o surgimento de cáries.

Algo peculiar em pessoas diabéticas é que a incidência de cáries pode ser maior em regiões consideradas atípicas, como o colo (linha de junção entre os dentes e a gengiva) de dentes pré-molares e incisivos.

A síndrome da boca ardente

Outro problema bucal que pode aparecer em pessoas com diabetes que não controlam seus níveis de glicose é a estomatodínia, também conhecida como a síndrome da boca ardente.

A síndrome da boca ardente é caracterizada pela aparição de uma sensação de queimação nos lábios, das bordas laterais ou da ponta da língua, e no paladar, e secura bocal. No entanto, ao ser analisada, a boca não apresenta nenhum tipo de infecção ou vermelhidão. Os desconfortos são de intensidade variável e, em algumas ocasiões, podem causar uma dor intensa.

boca3.jpg

Como se podem prevenir os problemas dentais associados com a diabete?

A primeira coisa que a pessoa deve fazer por sua saúde bucal (e geral também) é controlar adequadamente seus níveis de glicose no sangue. Isso por meio do uso correto dos medicamentos prescritos pelo médico.

Além disso, também necessita cuidar bem da saúde bucal, escovando os dentes três vezes ao dia e visitando o dentista a cada seis meses. Deixar de lado o tabaco é outro ponto a favor muito importante.

É preciso informar o dentista sobre a diabete?

Pessoas com diabete podem necessitar de cuidados especiais em relação à higiene e cuidados com a boca. Desse modo, devem informar ao dentista sobre a doença que sofrem, as mudanças ocorridas, e ainda a respeito dos medicamentos utilizados.

Se o paciente está passando por um momento em que seu nível de açúcar no sangue não está bem controlado, o melhor a se fazer é seguir tratando os dentes com os cuidados necessários habituais. Além disso, deve adiar a visita ao dentista até que o corpo tenha voltado à normalidade.

Não há motivo para alarde

Como destacamos antes, a pessoa que tem diabete possui um risco maior de sofrer certas doenças bucais. Porém, isso não quer dizer que necessariamente vai desenvolver alguma enfermidade.

Não há evidencia científica de que o desenvolvimento da periodontite (ou outra doença bucal) está associado somente ao fato de se ter ou não diabete. O que indicam os estudos é que quando os níveis de glicose no sangue não estão controlados, há um risco maior de surgir certas enfermidades na boca.

O que recomendam os especialistas em todos os casos é o seguinte: fazer um bom controle dos níveis de glicose no sangue, seguir as indicações de cuidado, e ainda a dieta prescrita pelo especialista. Também visitar um dentista periodicamente e fazer a higiene bucal adequadamente. Com estes cuidados simples o paciente poderá manter a saúde em dia (inclusive a bucal) nas melhores condições possíveis.

Porém, no caso do aparecimento de qualquer problema, o melhor a se fazer é visitar um profissional o quanto antes. As doenças bucais são curadas antes e com mais efetividade se a pessoa evita o avanço das infecções. Ao aparecer uma doença bucal, é preciso também checar se os níveis de glicose no sangue estão bem controlados.

Está interessado neste tratamento?
As informações são gratuitas!

As informações que aparecem em Cirurgia.net em caso algum podem substituir a relação entre o paciente e seu médico. Cirurgia.net não faz qualquer apologia a um tratamento médico específico, um produto comercial ou um determinado serviço.

0 comentários

Destacado

Contate um médico